O Seminário, livro 23 – Le séminaire, livre XXIII

Versão brasileira

Lacan, Jacques. O seminário: livro 23: o sinthoma (1972-1973). Trad. Sérgio Laia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2007.

Versão francesa

Lacan, Jacques. Le séminaire de Jacques Lacan, livre XXIII: le sinthome. Paris: Éditions du Seuil, 2005.

 

 

Observações sobre as figuras contidas neste livro:

 

  • Há algumas notas preliminares em relação a todas as figuras de nós neste seminário. A versão francesa utiliza figuras em 3d, enquanto a versão brasileira utiliza versões 2d (ou aplainadas como dizemos em topologia), o que eleva a qualidade das figuras francesas. Outra questão é que a versão brasileira mudas as cores. Em francês as cores são as seguintes

    • Real – azul

    • Simbólico – vermelho

    • Imaginário – verde

    • Sinthome – preto

Em português as cores são

  • Real – cinza claro

  • Simbólico – vermelho

  • Imaginário – rosa

  • Sinthoma – cinza escuro (quase preto).

Parece que a intenção da editora foi economizar nos custos do livro, mas isso não apenas empobrece a edição, como faz com que se modifique a tradução (toda vez que Lacan comenta algo do elo verde, por exemplo, é necessário mudar para rosa) como foge à forma que é utilizada por vários autores que trabalham a proposta borromeana de Lacan ao redor do mundo. Não comentaremos isso ao longo do seminário, pois isso ocorre em todas. Apenas discutiremos discrepâncias entre as apresentações das figuras.

  • Curiosamente, apenas nas figuras B60-1 - F62-1; B60-2 - F62-2; B61-1 - F63-1 e B61-2 - F63-2, a palavra francesa figuration é traduzida por figuração. Em todas as outras figuras em que a palavra figuration surge (assim como figurant e outras próximas), ela é traduzida por configuração (ou configurando e outras próximas).

  • Na versão francesa da figura B33-2 - F33-2, a linha do meio é 3d e possui uma coloração um pouco diferente. Na versão brasileira temos 3 linhas 2d da mesma cor.

  • A figura do toro, B80-1 - F82-1, na versão francesa também é em 3d.

  • Na figura B80-2 - F82-2, onde na versão brasileira se apresenta uma cor grená, nos buracos dos elos cinza e vermelho, vê-se claramente na versão francesa que apenas existe um clareamento do toro (que é preto, para um cinza claro, como vemos no toro da figura anterior) o que dá a impressão de 3d. Ou seja, na versão brasileira há uma outra cor (grená) que não se sabe de onde surgiu, pois não tem nada a ver com nenhum dos elementos da figura.

  • Tanto a versão brasileira quanto a francesa da figura B95 - F98 têm reparações distintas nos dois cruzamentos do falso nó de trevo. Note-se que na figura da direita, o elo rosa na versão brasileira (verde na francesa) passa duas vezes seguidas por cima e duas vezes seguidas por baixo, e não alternadamente (por baixo, por cima, por baixo, por cima), como na imagem à esquerda.

  • A versão brasileira da figura B147 - F151 possui um erro em um dos cruzamentos do nó, justo o que está apontado pela seta e deveria apresentar o lapso do nó. Na versão brasileira, no cruzamento central entre o cinza e o vermelho, o cinza passa por cima quando deveria passar por baixo. Da maneira apresentada o nó permanece borromeano, mas deveria ter ficado com os elos vermelho e cinza olímpicos, enquanto o rosa se soltaria, só assim podendo ser corrigido como na figura seguinte. Como apresentado, o nó não rateia.

  • Na versão brasileira da figura B218-1 - F219-1 os segundo e terceiro grupos de setas estão invertidos em relação à versão francesa.

Clique na imagem acima para ter acesso às figuras.

latesfip - laboratório de teoria social, filosofia e psicanálise - universidade de são paulo

buli © 2019